Vá para:

Direção do Sindiupes faz planejamento da gestão até 2023

04/02/2019 por: Comunicação Sindiupes

Os 73 diretores do SINDIUPES e membros do Conselho Fiscal, eleitos nos dias 19 e 20 de novembro de 2018, realizaram entre os  dias 1 e 3 de fevereiro, em Domingos Martins, o planejamento estratégico da gestão (mandato de 2018 a 2023) para o Sindicato. O objetivo dos trabalhos foi definir a agenda estratégica do Sindiupes para os próximos cinco anos de gestão e, assim, organizar a luta sindical. 

Na abertura do evento, João Carlos Nogueira (Professor, Sociólogo, Doutorando em Arqueologia, Cultura Material e Gestão do Território (UTAD- Portugal); Diretor do Observatório de Pesquisas e Análises/Microeconomia e Desenvolvimento (UFSC/Reafro) apresentou uma análise da conjuntura nacional e internacional, destacando os problemas que a classe trabalhadora, em especial os trabalhadores da educação vão enfrentar com o governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro, com os ataques à educação e aos professores em sala de aula.

O professor Nogueira desenvolveu um debate, destacando o ataque direto ao magistério na disputa ideológica, na liberdade de cátedra, lei da mordaça e também na organização dos trabalhadores, com as reformas trabalhistas e previdenciária, o fim do ministério do Trabalho e Emprego e a possível extinção da Justiça do Trabalho e as medidas contra os sindicatos pelo Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

João Carlos falou sobre o processo eleitoral sem debate com a sociedade e uma combinação do “estado de exceção”, políticas neoliberais, religião, valores e costumes e o ódio disseminado contra a esquerda e ao PT.  A participação da nova diretoria demonstrou um interesse grande de como resistir e enfrentar todos os retrocessos sociais junto ao professor na sala de aula. 

O professor alertou para a necessidade de entendermos as grandes transformações em curso no mundo do trabalho nas relações de poder e nos rearranjos geopolíticos. 

No segundo dia, o planejamento recebeu Martha Vanelli, secretária de formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE). A diretora alertou contra o desmonte da educação proposto pelo governo federal  e para onde nós vamos com esse governo. Ela enfatizou que as políticas para educação visam diminuir a presença do Estado na Educação Pública, principalmente com a reforma do ensino médio, excluindo disciplinas importantes que ajudam o jovem a enfrentar um futuro competitivo. Marta falou sobre terceirização, piso salarial nacional do magistério e as políticas neoliberais que favorecerão a proliferação de instituições particulares de ensino com a redução de recursos  públicos para a educação pública, quando o Estado repassará dinheiro, aumentando o lucro das escolas particulares.

Planejamento

Os secretários de organização do Sindiupes, Christovam Mendonça e Dorzília Vaz, desenvolveram um debate no sentido organizativo do Sindicato, detalhando as alterações feitas no Estatuto, aprovado na Assembleia Geral das Redes, em Agosto de 2018, discutindo o papel de cada secretaria, principalmente as novas, como Juventude, direitos da pessoa com deficiência, direitos da pessoa LGBTI+  e meio ambiente e educação no campo, e dos coletivos: diversidade, gênero, étnico-racial, saúde, juventude, funcionário de escola, aposentados/as, deficientes, pedagogo (especialistas), educação infantil, indígenas, ensino religioso, educação especial e educação física. 

Nesta gestão,  a entidade tem diversas tarefas como a realização do  Congresso Estadual, Encontro de aposentados, formação sindical e uma  comunicação que aproxime o Sindiupes dos trabalhadores na educação. O novo site foi apresentado aos diretores. Também foram escolhidos os coordenadores das redes municipais e estadual.

O Planejamento Estratégico abordou também a realização das pautas levantadas pela diretoria ainda em sua campanha para a eleição da atual gestão do Sindicato, como por exemplo a implementação da Plataforma EAD de formação continuada. Christovam fez uma avaliação das ações já em prática, das em fase de implantação e das que ainda não foram realizadas, levando em conta a dinâmica sindical e as lutas diuturnas dos profissionais da educação por melhores condições de trabalho e valorização profissional.

Os diretores se reuniram em suas redes e traçaram metas e ações. Uma pauta de negociação da rede estadual já foi definida. A coordenadora da Rede Estadual Noemia Simonassi já saiu do planejamento com a missão de agendar a primeira audiência com o novo governo de Casagrande, visando discutir vários assuntos da categoria. 

Veja fotos do Planejamento

 



Notícias Relacionadas

Curta o Sindiupes no facebook
Receba nossas notícias
Enquete

A Vale será punida pelo rompimento em Brumadinho (MG)?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...