Vá para:

Professores de Vitória mantêm greve e cobram respostas de Luciano Rezende

20/04/2018 por: Comunicação Sindiupes

Os/as professores/as da Rede Municipal de Vitória estão em greve há  quer um mês, enfrentando total descaso por parte da Administração de Luciano Rezende. A categoria luta para que a Prefeitura cumpra a Lei que obriga o município a recompor as perdas inflacionárias dos salários, acumuladas desde 2014. Hoje, essa perda é de 28,6%. 

A categoria não está pedindo aumento, mas, sim, exigindo que seus direitos sejam respeitados. São mais de 4 mil professores nessa luta pela melhoria da Educação que atende a população mais carente da cidade. É uma luta por justiça social!

Diante do descaso da Administração, mais de 35 mil estudantes estão sem aula. E o principal (ir)responsável por isso é o prefeito Luciano Rezende, que não cumpre nem o compromisso de se reunir com os trabalhadores em greve para negociar.

Aliás, essa tem sido a marca do governo Luciano Rezende: sucatear a educação. As escolas sofrem com a diminuição de verbas e com o atraso de obras urgentes. Isso sem falar no material escolar de péssima qualidade, como uniformes que mancham na primeira lavagem.

Mas os/as professores/as, que cuidam todos os dias de milhares de crianças e jovens, têm, sim, compromisso com a educação! Sabem que para oferecer ensino de qualidade é preciso ter investimentos nas escolas e valorização profissional. O movimento tem conseguido promover esse debate na Câmara de Vereadores e também contará com o apoio do Ministério Público.

Compromissos

Nesse sentido, a categoria exige que a Prefeitura volte a respeitar os seus professores, cumprindo outros compromissos, entre eles:
– o Plano Municipal de Educação de Vitória;
– o Plano de Cargos e Vencimentos;
– a concessão de licenças aos profissionais para estudo e especialização;
– o pagamento de tiquete refeição para quem tem duas cadeiras; e,
– o limite de 20 alunos por turma na Educação Infantil.

Para isso, basta que a Prefeitura mais rica do estado:
– Pare de reduzir a verba da educação, já que a receita tem aumentado;
– Não se esconda atrás da Lei de Responsabilidade Fiscal, uma vez que o gasto com pessoal está muito abaixo do percentual permitido;
– Dispense parte dos seus cerca de 800 cargos comissionados.

Assembleia
Em Assembleia realizada nesta sexta-feira (20), os professores decidiram continuar com greve, iniciada no dia 26 de março. A próxima Assembleia está marcada para o dia 26/04 (quinta-feira), 14h, em local a ser definido. No dia 25/04 (quarta-feira), às 16h, ocorrerá uma grande manifestação – “NEGOCIA LUCIANO” – na praça do Cauê, no bairro Praia do Canto. O apoio da comunidade escolar ao movimento dos professores de Vitória é fundamental. Por isso, compartilhe essas informações, participe das atividades e entre na campanha #NegociaLuciano!

 

  

 

 

 

 



Notícias Relacionadas

Curta o Sindiupes no facebook
Receba nossas notícias
Enquete

Quem sofrerá com o ajuste fiscal do ilegítimo Temer?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...