Vá para:

Secretário de Combate ao Racismo do SINDIUPES recebe homenagem na Assembleia Legislativa Estadual

12/05/2017 por: Comunicação Sindiupes

Juntos na homenagem, da esquerda para direita: Rakel Rissi, Denise Araújo, Ruth Rangel, Adriano Albertino e Ronald Alves

O Secretário de Combate ao Racismo do SINDIUPES, diretor Adriano Albertino, foi homenageado em Sessão Solene que celebrou os 168 anos da Insurreição de Queimado, na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), na última quarta-feira (10), em Vitória.

Membros do Coletivo de Combate ao Racismo do Sindicato, entre eles a coordenadora Rakel Rissi, também estiveram presentes para compartilhar a homenagem.

Essa homenagem é dedicada, anualmente, a personalidades que se destacam na luta contra a discriminação racial e na defesa das causas do povo negro.

“Compartilho essa homenagem com todos/as os/as companheiros/as. É o reconhecimento de um trabalho coletivo que realizamos no Sindiupes e demais espaços de luta pela promoção da igualdade racial em nosso Estado”, destaca Adriano Albertino. 

História
A Insurreição de São José do Queimado é considerada por especialistas como o maior movimento em favor da liberdade e o maior símbolo da resistência do africano à escravatura no Estado do Espírito Santo. 

O fato aconteceu em 19 de março de 1849 quando houve a revolta, segundo pesquisadores, por conta de uma promessa não concretizada de liberdade, feita pelo frei italiano Gregório José Maria de Bene aos escravos da localidade de São José do Queimado, hoje distrito da Serra.

Mais de 300 homens, mulheres e até crianças participaram desta rebelião que foi liderada por Chico Prego, João da Viúva, Elisiário e muitos outros líderes que articularam seu povo para tomar a liberdade com as próprias mãos. Os rebelados foram presos e julgados, cinco deles condenados à morte.

Um dos líderes da Revolta, Elisiário, escapou da cadeia e refugiou-se nas matas do Morro do Mestre Álvaro e nunca mais foi recapturado. Chico Prego foi capturado e enforcado, em 11 de janeiro de 1850. Hoje, nomeia a Lei de Incentivo Cultural do Município.

13 de Maio

Em referência ao 13 de Maio – Dia da Abolição da Escravatura, o diretor da Secretaria de Combate ao Racismo do SINDIUPES, Adriano Albertino, propõe um reflexão sobre essa data oficial em contraponto à realidade do povo negro e aos seus desafios no Brasil atual.

Clique aqui e confira o Artigo 13 de Maio – Desconstrução e luta : “Consciência é uma atividade transcendente”

 



Notícias Relacionadas

Curta o Sindiupes no facebook
Receba nossas notícias
Enquete

Quem sofrerá com o ajuste fiscal do ilegítimo Temer?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...